A importância da Psicomotricidade na educação das crianças
27 de maio

A importância da Psicomotricidade na educação das crianças

Geral

Dominar o próprio corpo e perder a inibição voluntariamente são dois processos fundamentais para o aprendizado de qualquer criança. Muita gente sabe disso. Mas como conseguir, na prática, que esses processos aconteçam? É aí onde entra a Psicomotricidade. Para quem não sabe, é o estímulo à prática de movimentos em todas as faixas-etárias. Deve começar a ser trabalhado ainda na Educação Infantil para estimular a aprendizagem e o desenvolvimento psicológico, motor e cognitivo.

Os pais precisam estimular brincadeiras que contribuam para o desenvolvimento do senso de espaço, movimento e percepção das crianças

Estratégias da Psicomotricidade

Tonicidade, equilíbrio, lateralidade, noção corporal, estrutura espaço-temporal, praxia (participação na prática) fina e praxia global são os principais padrões psicomotores trabalhados pela Psicomotricidade. Atividades que estimulem a descoberta do espaço, atividades táteis, exercícios com bolas e peças de plásticos, pinturas de pés e brincadeiras de encher e esvaziar pequenas vasilhas com areia fazem parte da estratégia. É muito importante desenvolver exercícios que façam o aluno pular, rolar, dançar e aprender atividades do dia a dia, como amarrar os sapatos e pentear os cabelos.

Como a Psicomotricidade cumpre um papel importantíssimo na Educação Infantil e está diretamente relacionada aos desenvolvimentos motores, afetivos e intelectuais, é fundamental a participação da família no processo. Por isso, os pais precisam estimular brincadeiras que contribuam para o desenvolvimento do senso de espaço, movimento e percepção das crianças. E estimular a prática em casa é, sem dúvida, fundamental para que os pais dividam sentimentos e caminhem ao lado dos filhos na busca pela autonomia e identidade própria.

O não-desenvolvimento da Psicomotricidade é extremamente prejudicial à criança. A falta de estímulos à independência motora e cognitiva provoca sérias consequências ao desenvolvimento dos pequenos. Para especialistas no tema, uma das principais atividades que precisa ser cada vez mais desenvolvida é a lateralidade, ainda pouco trabalhada nos alunos pelas escolas. E, quando isso acontece, a criança apresenta dificuldades, por exemplo, em utilizar os termos direita e esquerda e apresenta certo embaraço para acompanhar a direção gráfica de leitura e escrita.